Escolha uma Página

Especialista em infraestrutura de TI, Sylvia Bellio separou alguns conselhos para ajudar a preservar a sua privacidade na web


Ninguém gosta de ser bisbilhotado ou ter sua privacidade invadida, mas os recentes relatos de vazamentos de dados em redes sociais sugerem o aumento de cuidados com todos procedimentos na web. Hoje há um grande interesse comercial na busca de formação de cadastros com informações e dados sobre os diversos públicos-alvo ou personas. Essas informações podem valer muito dinheiro e, por isso, quando se preenche um cadastro numa página, não se sabe ao certo quanto será repassado para outros interessados.

Em resposta aos casos recentes de vazamentos de dados de usuários, foi criada na União Europeia o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GPDR, sigla em inglês), que presa pela proteção, diminuição e compartilhamento das informações pessoais. Entre as medidas mais importantes destacam-se o fato que empresas devem coletar o mínimo de informações necessárias para disponibilizar os seus serviços, os usuários podem, em algumas circunstâncias excluir, corrigir e analisar os dados que aquela determinada empresa guarda sobre ele, e se caso sua conta for acessada por outro usuário, você deverá receber uma notificação em até 72 horas com esse aviso.

Mas não são só os dados pessoais que podem acabar vazando, com a febre de registrar e postar tudo que acontece, muitos esquecem de tomar cuidado para que fotos e vídeos mais íntimos não caiam nas mãos erradas e sejam expostos na internet. E um simples click pode resultar em uma enorme dor de cabeça. Mas ter, dados, fotos ou vídeos divulgados sem autorização é algo que pode ser evitado com algumas dicas.

Pensando nisso, a especialista em infraestrutura de TI Sylvia Bellio, da IT Line Technology, separou alguns conselhos para preservar a sua privacidade na web:

Proteção de fotos e vídeos

Cuidado ao armazenar fotos e vídeos, algumas informações podem ficar registradas em aplicativos ou até mesmo serem hackeadas através do seu e-mail, caso sua senha não tenha um bom nível de segurança. Por isso, a criação de senhas mais seguras é primordial. 

É aconselhável desativar o armazenamento automático de suas fotos e vídeos para as chamadas “nuvens”, assim você filtra somente o que não for comprometedor no caso do provedor ser hackeado.

Lembre-se de deletar as imagens da lixeira e sempre apagar seus dados antes de mandar o aparelho para a assistência técnica. Já existem programas e aplicativos que garantem que as fotos e vídeos sejam deletados definitivamente do sistema.

Também estão disponíveis apps e aparelhos celulares com recursos para bloqueio de fotos através de senhas, criptografia, PINs e até biometria.

O cruzamento de dados e de conteúdo pode gerar muito mais informações do que você possa imaginar. A câmera do celular tem capacidade, por exemplo, em muitos aparelhos, de fazer a associação de uma foto com data, horário, e outros detalhes como geolocalização, portanto, você deve ficar atento a este tipo de função antes de compartilhar uma foto.

E, por último, e não menos importante, é preciso confiar na pessoa com quem você compartilha suas imagens.

Navegadores

Muita gente não sabe, mas os navegadores ou browsers oferecem alternativas de privacidade como utilizar a função “in Private” que permite realizar a navegação sem gerar cookies e registros de acessos, impedindo que os mesmos sejam rastreados ou hackeados e pode ser o primeiro passo para se proteger de enxeridos. Outra coisa importante na atualização do navegador é verificar com certa frequência a configuração da privacidade.

Há rastreadores em sites de compras que podem sugerir anúncios para você, quando estiver navegando em outras páginas. Eles sabem pelos ‘cookies’ quais foram as buscas, sites visitados, e até seu número de registro de computador, o IP. Na verdade, os chamados ‘cookies’ guardam temporariamente suas visitas, histórico de navegação, formulários com seus dados, além de outras informações compartilhadas. No entanto em alguns navegadores é possível ter uma navegação anônima, onde nada do que for acessado ficará salvo no seu histórico. Por precaução, sempre é bom limpar informações e cookies.

Redes sociais

Da mesma forma que no navegador nas redes sociais, é preciso analisar no menu ‘configurações’ as alternativas de privacidade e limitar o acesso a dados que você não queira que sejam públicos.

Na plataforma do Facebook, por exemplo, você pode fazer uma cópia dos seus dados e ler nessa página os aplicativos que armazenam seus dados pessoais, inclusive sua lista de amigos. No item ‘aplicativos, sites e plugs’, você pode retirar o que você desejar, bastando clicar em ‘desativar plataforma’, para eliminar conexões com aplicativos externos.

O conteúdo postado nas redes sociais também dá muitas pistas para intrusos, por essa razão procure não mostrar endereço, telefone, data de nascimento, placa do carro, fotos da frente da casa, passagens aéreas, documentos em geral, ou mesmo marcar os lugares públicos que frequenta. Há muitas informações importantes que podem ser cruzadas por algoritmos e facilitar a ação de pessoas mal-intencionadas.

Buscadores

No buscador Google, por exemplo, na sua conta haverá canais com ‘informações pessoais’ e ‘privacidade’, que têm a alternativa de ser verificados. Você pode excluir as atividades deletando na página o histórico armazenado das suas ações naquele ambiente. Também é possível impedir o armazenamento de informações que são guardadas todos os dias, como o uso de aplicativos, atividades de voz e áudio, histórico de localização, entre outras coisas.

Geolocalização

O GPS é uma ótima opção para você localizar endereços, mas se ele estiver ligado seguramente vai gerar dados e informações para alguém vender algo para você ou rastrear sua localização. “Para impedir o acesso de aplicativos a sua localização verifique as configurações do seu aparelho celular e desative nos ajustes esta opção”, descreve Sylvia.

Filtragem dos aplicativos 

Os aplicativos te oferecem muitas vantagens, mas sempre querem seus dados em troca. “Fique atento ao que você deve aceitar e aquilo que efetivamente pode ser compartilhado”, enfatiza Sylvia.

Se você não usa com frequência todos os aplicativos que estão no seu celular, delete então aqueles que você nunca vai usar ou que usa muito pouco. É bom lembrar que, muitos dados o app pode armazenar rapidamente. Analise o que ele pode guardar sobre você. Reveja o que liberou sobre sua privacidade e verifique se há alguma notícia na web sobre a boa-fé do aplicativo. Nunca se esqueça de pôr na balança o que você ganha realmente usando este ou aquele aplicativo.

Bluetooth

O Bluetooth realiza conexões com aparelhos ou dispositivos de outras pessoas que estão ao redor, mas não necessariamente suas conhecidas. Então, se você está conectado com pessoas ao lado, certifique-se que elas só receberão arquivos com seu consentimento e ponto final. Para evitar a possibilidade de seu aparelho ser infectado por vírus, desative, quando não for necessário, este recurso nas configurações do seu aparelho.

Amigos secretos

Nunca deixe que um programa saiba quem participa de sua lista de contatos, porque você pode deixá-los a mercê de intrometidos. Há notícias de que empresas de TI armazenaram um mundo de dados e informações de usuários de redes sociais, sem consentimento, porque não tomaram o cuidado devido de impedir o acesso a essa lista.