❝ Vá sempre além do que é esperado ❞

Intel vai pagar até US$ 250 mil para quem encontrar bugs em processadores

Intel vai pagar até US$ 250 mil para quem encontrar bugs em processadores
15 fev 2018

A Intel quer que mais pesquisadores estudem vulnerabilidades em processadores e para isso iniciou um programa de recompensa. Até o fim do ano, a empresa vai oferecer até US$ 250 mil para quem descobrir falhas parecidas com Spectre e Meltdown, que atingem chips produzidos nas últimas duas décadas.

O programa foi aberto para todos os pesquisadores de segurança, e não mais apenas para convidados como era antigamente. Quem revelar falhas gerais de segurança vai ganhar até US$ 100 mil, enquanto quem encontrar vulnerabilidades mais graves como o Spectre pode embolsar até US$ 250 mil. O programa vale até o dia 31 de dezembro de 2018.

As falhas Spectre e Meltdown estão dando bastante dor de cabeça para a Intel, que chegou a cancelar uma correção liberada por problemas que ela causou nos computadores dos usuários. Agora a empresa promete que processadores lançados a partir de 2018 serão mais seguros.

Quem é a Intel:

Fundada em 18 de Julho de 1968 por Robert Noyce (físico e co-inventor) e Gordon Earle Moore (físico e químico) , o primeiro produto da empresa foi o circuito integrado de memória RAM, e a mesma logo se tornou líder neste mercado nos anos 1970. Paralelamente, os engenheiros da Intel Marcian Hoff, Federico Faggin, Stanley Mazor e Masatoshi Shima inventaram o primeiro microprocessador. Originalmente desenvolvido para a companhia japonesa Busicom a fim de substituir o ASIC’s da calculadora já produzida pela Busicom, o Intel 4004 foi introduzido no mercado para produção em massa em 15 de Novembro 1971, embora o microprocessador não tenha se transformado no núcleo do negócio de Intel até meados dos anos 1980 (nota: À Intel é dado geralmente o crédito juntamente com a Texas Instruments pela invenção quase-simultânea do microprocessador).

Em 1983, alvorecer da era do computador pessoal, os lucros de Intel vieram sob a pressão aumentada dos fabricantes japoneses de circuitos integrados de memória, e o então presidente Andy Grove resolveu dirigir a companhia com foco nos microprocessadores. Um elemento chave de seu plano era a intenção, considerada então radical, de transformar-se na única fonte para os sucessores do popular microprocessador 8086. Foi lançado o processador 8088, que fez um grande sucesso para os computadores recém-lançados da IBM, os primeiros PC´s. Posteriormente surgiram outros que ganharam mais recursos e maior velocidade de processamento, pertencentes a então denominada família de processadores x86. Mas, ao lançar o quarto processador que deveria se chamar 80586, a Intel acabou criando a marca registrada Pentium (apesar do rótulo 80586, mais conhecido como 586, ter sido aplicado por muito tempo por concorrentes da Empresa).

Até então, a manufatura de circuitos integrados complexos não era confiável o bastante para que os clientes dependessem de um único fornecedor, porém Grove começou a produzir processadores em três fábricas geograficamente distintas e cessou de licenciar os projetos de microprocessadores aos concorrentes tais como Zilog e AMD. Quando a indústria do PC explodiu nos anos 1980 e no começo dos anos 1990, a Intel foi uma das mais beneficiadas.

Durante os anos 1990, os Laboratórios da Arquitetura Intel(Intel Architecture Labs – IAL) eram responsáveis por muitas das inovações da estrutura do computador pessoal, incluindo o barramento PCI, o barramento PCI express (PCIe), o barramento serial universal (Universal Serial Bus – ‘USB’), e a arquitetura agora dominante para usuários de multiprocesadores, a x86.

Share This
× Como posso te ajudar?