Visa, Mastercard e eBay anunciam saída do projeto Libra

Visa, Mastercard e eBay anunciam saída do projeto Libra

Startup de pagamentos Stripe e Mercado Pago também abandonaram a iniciativa Libra; principal motivo teriam sido inseguranças jurídicas e regulatórias


A sexta-feira passada terminou com um gosto amargo para o Facebook. Em uma única tacada as processadoras de pagamento VisaStripeMastercard e Mercado Pago, além da plataforma de marketplace eBay, anunciaram sua saída do projeto Libra, lançado em junho pela rede social com a proposta de criar uma moeda digital e um sistema global de pagamentos.

Em comunicados emitidos separadamente, Visa e Stripe afirmaram torcer pelo futuro da Libra Association, mas que preferem esperar que o projeto esteja melhor estruturado antes de assumirem um papel mais sério dentro da iniciativa.

Vale lembrar que, no início da semana passada, a carteira digital de pagamentos PayPal foi a primeira companhia a deixar a coalisão, também mantendo o discurso de que deseja sorte para a empreitada e que está de portas abertas para voltar a trabalhar no projeto futuramente.

Visa, Mastercard e eBay anunciam saída do projeto Libra

Em seu perfil no Twitter, David Marcus, executivo do Facebook responsável pela condução do projeto Libra, agradece ao apoio dado por Visa e Mastercard “até o último instante” e diz respeitar a decisão das marcas por conta da pressão que devem estar sofrendo. Mas reforça que uma mudança dessa magnitude é difícil e que o público deve “Ficar atento para notícias em breve”.

Questão de tempo

Apesar de uma desistência em massa nunca ser uma boa notícia, nesse caso existe um contexto que explica a saída das marcas: nesta segunda (dia 14) todos os membros fundadores da Libra Association precisam estar em Genebra para o primeiro conselho da iniciativa. Nessa ocasião, as atribuições de todos os parceiros serão definidas e um contrato mais formal será, finalmente, assinado.

Fintech Xerpa brasileira com foco em RH recebe aporte de US$ 13 milhões

Enquanto um acordo desse porte se mostra vantajoso para parceiros para empresas como Uber e Spotify, e companhias de venture capital (que ainda integram a associação), esse nível de comprometimento poderia comprometer de forma séria os negócios das marcas de pagamento, que atuam dentro de um mercado extremamente regulado.

Acontece que a criptomoeda, como todas as já existentes, será construída dentro de uma rede blockchain e com funcionamento (pelo menos inicial) similar a moedas como Bitcoin e Etherum, que ainda são muito instáveis e criadas em um ambiente de baixíssima regulação.

Provavelmente pensando nesse histórico, as companhias de pagamento foram chamadas por membros do governo americano para explicar como assegurarão que a Libra seja um ambiente seguro para os usuários e protegido contra invasões hackers.

Por estarem ainda na fase inicial do projeto — que tem tudo para ser longo e bastante enrolado — as marcas optaram pela  saída do projeto Libra enquanto nenhum acordo oficial havia sido firmado, esperando uma estruturação melhor do projeto para cogitar uma possível volta.

Gostou do post? Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo tech? Se inscreva-se logo abaixo!!